Minha 6a Campus Party e mais um post para contar histórias…

Já escrevi sobre a Campus Party algumas vezes. Mas não quero que você, que está lendo esse post agora, clique no link e perca atenção no texto. Vou manter o mistério por algum tempo e colocar os links dos meus posts antigos ao longo da sua leitura… 😉

Nos últimos 6 anos estive presente na Campus. Foram 6 edições completamente diferentes uma da outra e em cada uma delas assim como a minha participação nelas. Fui de campuseiro à patrocinador do evento, passando por palestrante magistral à curador da área de empreendedorismo.

Continuar lendo

Usando o Evernote para blogar melhor no WordPress

Evernote para WordPress
Quantas vezes você teve uma boa ideia para um texto mas ela foi embora mais rápida do que você conseguiu salvar em algum lugar? Ou quantas vezes você tinha a certeza de que lembraria mais tarde só que… não. 

Você decide então que chegou a hora de acabar com as desculpas e começar a escrever. Senta na frente do computador e… nada. Bem vindo ao famoso “bloqueio criativo”, causador de milhares de bolinhas de papel amassadas em volta da lixeira.

“Escrever não é pra mim”, afinal de contas quem escreve não passa por esse problema certo? Errado. A diferença entre você e um escritor profissional é menor do que você pensa e ao final desse post você vai começar o seu próximo texto. Quer apostar?

Continuar lendo

Modelo de pitch básico para você arrasar nos elevadores

Esbarrei em um artigo antigo do TechCrunch (de abril de 2012) que contava sobre uma competição de “pitchs de uma sentença” organizada pelo Founders Institute. 

O artigo desafiava os leitores a apresentarem seus “One Sentence Pitch” e para ajudá-los, colocaram uma fórmula bem bacana para criar o seu pitch básico:

Como muitos empreendedores enfrentam dificuldades com isso, decidi fazer algumas pequenas mudanças e traduzir para o português.

Modelo de pitch básico

Olá meu nome é (seu nome). Eu (o que você faz) na (nome da empresa), (O que o seu negócio faz) para (o tipo de cliente/segmento) que procuram (qual o problema que esse cliente/segmento tem).

Nosso diferencial é (coloque o diferencial que faz o seu negócio ser melhor/específico que as soluções atuais).

Resumindo em uma imagem (como o pessoal do Founders), ficaria mais ou menos assim:

Mas como ficaria com um exemplo real?

Olá, meu nome é Amure. Eu sou o CEO do Blogo, a forma mais fácil e rápida de escrever, publicar e gerenciar conteúdo em múltiplos blogs para blogueiros, escritores e profissionais de mídias sociais que procuram produtividade e simplicidade no seu dia a dia de criação.

Nós entregamos isso através de um app para Mac que permite aos nosso usuário gerenciar múltiplos blogs, moderar comentários, editar imagens fácilmente, trabalhar em modo offline, conectar com Evernote e insirir vídeo e imagens com 1 clique direto do browser.

Bacana? E aí, como ficou o seu? Coloque nos comentários o seu pitch e aguarde os feedbacks!


Eu escrevi este post usando o Blogo, um editor de blogs para Mac  Com o Blogo eu consigo editar imagens, gerenciar os comentários do meu blog, agendar posts, escrever mesmo sem internet em modo offline, sincronizar meus rascunhos com Evernote e muito mais. 😉  

O que saber antes de levantar dinheiro com Family & Friends?

Imagine o seguinte cenário: seu negócio não deu certo e você falhou. Independente do mercado, dos concorrentes, da economia e dos sócios, você era a pessoa por trás do produto e assim como um técnico pode mexer no time e virar o jogo, poderia ter feito algo de diferente antes do apito final. Cabe a você a missão de falar com os sócios, funcionários, clientes, e claro, com os seus investidores.

Eles investiram em você, não no seu negócio. Qualquer outra pessoa, ao apresentar a mesma ideia não receberia o investimento. Foi a amizade, a história, o carinho e a vontade de te ver dando certo e  feliz que os fizeram acreditar no seu sonho e visão.

Agora respire fundo e me responda: o que seria preciso fazer para garantir que quando ouvissem essa notícia, seus amigos e familiares perguntarem: “qual é a próxima ideia?”

Levantar dinheiro com Family & Friends é muito mais do que vender o peixe do seu negócio, é vender a sua capacidade de fazer uma idéia acontecer, independente dos desafios que você irá encontrar. Eles serão os primeiros a estender o braço para te ajudar e muito provavelmente, parte fundamental da sua futura história de sucesso.

Aqueles que levantaram dinheiro com Family & Friends e falharam, aprenderam que por trás do momento de euforia e otimismo existem pessoas. Pessoas com envolvimento emocional com o dinheiro que você recebeu, com alta expectativa no sonho que você vendeu, que desconhecem o risco de uma startup e com um ponto de vista sobre o seu trabalho totalmente distante da realidade do dia a dia.

O segredo? Envolva estas pessoas e faça com que elas sejam parte dessa construção. Compartilhe as notícias boas e ruins, atualize-os sobre os próximos passos, gerencie as expectativas de todos os envolvidos e seja transparente sempre. Ao fazer isso, você fará com que elas se sintam parte do resultado, seja ele bom ou ruim, e este é o segredo para que elas estejam sempre dispostas a acreditar em você, novamente.

E aí, qual a sua próxima idéia?

10 ways to get more eyeballs on your posts [english]

You know when you write a post and begins to feel a good feeling that this was one of the best posts you’ve ever done? Expectation is high, you run to make the last adjustments, publish to your blog, share and then…nothing.

Life isn’t fair, but wait: perhaps the reason your post didn’t get the attention it deserves are small details easy to fix. Most of them we know, but we don’t always take the attitude of doing them, the classic example “the shoemaker’s son always goes barefoot”.

I’ve just found a nice infographic created by the guys at Bitrebels.com showing 10 ways to get more eyeballs on your posts. Simple tips that might help you increase your audience and engajement. Some of them are really easy to do so you can start using them on your next post. Let’s get it on:

10 ways to get more eyeballs on your posts
I wrote this post using Blogo, a desktop blog editor for Mac. With Blogo I can easily edit images, manage comments of my blog, schedule posts, write while offline, sync my drafts with Evernote and much more. Ps.: Im Blogo’s CEO so in case you need any help, just let me know!

Source:
Presented by bitrebels.com and developed by nowsourcing.com

10 dicas para você conseguir mais atenção nos seus posts

Sabe quando você escreve um post e começa a sentir aquela sensação boa de que este foi um dos melhores posts que você já fez?  Sua expectativa está alta, você corre para fazer os últimos ajustes, publica no seu blog, compartilha e…nada. 

A vida não é justa, mas calma: talvez o motivo do seu post não ter tido a atenção que merece sejam pequenos detalhes fáceis de corrigir. A maioria delas nós sabemos, mas nem sempre tomamos a atitude de fazê-las, no clássico exemplo “em casa de ferreiro, espeto de pau”.

Acabei de me deparar com um infográfico bacana que lista 10 dicas para você conseguir mais atenção nos seus posts, muitas delas você já pode fazer na próxima vez que começar a escrever. Mãos a obra! 

10 ways to get more eyeballs on your posts
Eu escrevi este post usando o Blogo, um editor de blogs para Mac  Com o Blogo eu consigo editar imagens, gerenciar os comentários do meu blog, agendar posts, escrever mesmo sem internet em modo offline, sincronizar meus rascunhos com Evernote e muito mais. 😉 

Fonte:
Presented by bitrebels.com and developed by nowsourcing.com

Comemore você.

A sua startup nasceu.
Os primeiros usuários estão usando seu produto.
Seu time lançou uma versão nova.
Vocês ganharam um prêmio.
Reunião com investidor foi um sucesso.
Saiu em uma matéria na mídia.
Contratou mais pessoas.
Captou investimento.
Pivotou após validar outras hipóteses.
Atingiu o break-even.
Achou market-fit….e por aí vai.

Independente do momento do seu negócio:
Qual foi a última vez que você comemorou? Você ainda lembra porque começou isso tudo? 

Novo site do Space Coworking e diária grátis para você que está lendo este post! Yey!

O Space Coworking é um espaço de coworking em Botafogo, Zona Sul carioca. É também a residência oficial do time do Blogo.

Para conferir o site novo, acesse:
http://www.spacecoworking.com

P.s.: Se você quer ganhar uma diária grátis, deixe um comentário e eu entrarei em contato com o seu voucher. 😉

Quando as marcas mentem pra você. As histórias mentirosas inventadas por milhares de empresas como a Diletto, Do Bem, Hollister e outras

Histórias são uma das formas mais antigas de espalhar conhecimento. Antes da escrita e do desenho, usávamos elas para espalhar conhecimento, criando a base do que seria no futuro, a cultura de uma sociedade.

Com o passar de milhares de anos (e muitas histórias) aprendemos a usar histórias para impactar pessoas. Elas podem ser usadas para o bem, quando criamos e contamos histórias para crianças com o objetivo de desenvolver o universo criativo delas, mas elas também podem ser usadas pro mal, como Joseph Goebbels, que usou histórias para alimentar a propaganda nazista do 3o Reich.

No mundo dos negócios histórias são usadas para persuadir. Aprendi isso na faculdade. É muito mais fácil vender a alegria da união da família no almoço de domingo, do que vender uma bebida preta, cheia de açucar e gás, embalada em uma lata de alumínio.

Histórias evocam sentimentos. E quando estes sentimentos são positivos, não importa mais o seu produto. Você já fisgou o coração do seu consumidor e vender se torna uma tarefa fácil.

A Exame dessa semana trouxe uma reportagem contando as verdades por trás de algumas histórias mentirosas criadas por marcas de sucesso: 

Toda empresa quer ter uma boa história. Algumas são mentira
– via Exame

Em meio a escândalos do governo, corrupção política e briga de candidatos, essa seria mais uma das coisas para envergonhar a humanidade, mas com tanta vergonha que já temos, iria para debaixo do tapete.

Mas essa doeu de um jeito diferente em mim

Eu fiquei transtornado. Muito mais do que eu achei que ia ficar, não sei porque, mas acho um completo absurdo a cara lavada dos empresários da Diletto

Em todos os seus picóles, websites e materiais promocionais a Diletto conta a seguinte história (retirado da matéria da Exame):

A inspiração para criar os picolés veio do avô de Leandro, o italiano Vittorio Scabin. Sorveteiro da região do Vêneto, Vittorio usava frutas frescas e neve nas receitas até que a Segunda Guerra Mundial o forçou a buscar abrigo em São Paulo.

Seu retrato e a foto do carro que usava para vender sorvete aparecem nas embalagens da Diletto e ajudaram a construir a autenticidade da empresa. “La felicità è un gelato”, costumava dizer o nonno Vittorio aos netos.

É um golaço de marketing, mas há apenas um porém: o nonno Vittorio nunca existiu.

Contar uma história mentirosa sobre o nascimento da marca é tão absurdo quanto falar que usa produtos orgânicos e não usar. Do que falar que não usa mão de obra infantil e usar. Do que dizer que não usa glúten e usar.

Mas o que mais me impressiona foi a resposta que o CEO da empresa, Leandro Scabin, deu quando foi questionado sobre a mentira:

Como eu convenceria o cliente a pagar 8 reais num picolé desconhecido?” – Leandro Scabin

Inventar uma história mentirosa para vender mais picolé é chamar seu consumidor de otário. As pessoas compram sonhos e se você vende um sonho falso, está trocando mentira por dinheiro. Propaganda enganosa é crime.

Histórias precisam ser verídicas?

Não. Mas é sua obrigação dizer que elas são fictícias. Ao ler a matéria tive a certeza de que perdi a confiança na Diletto, na Do Bem e todas as outras mencionadas na matéria.

Uma vez nos EUA uma pessoa disse para mim: “It’s all about the story you tell”. Eu contei a minha e ele falou: “A história é boa, mas sugiro inventar algumas coisas pra ficar mais emocionante”. Ele deve ter percebido a minha cara de decepção.

Não significa que o mundo é cor de rosa e que você não pode vender o seu peixe com paixão. Eu acredito nisso, sou formado pela ESPM e como CEO do Blogo, vendo sonhos e a nossa visão, todos os dias.

Mas acredito que exista um limite entre contar histórias que fazem o bem e mentiras que fazem dinheiro. Ética é uma coisa que se aprende em casa e cada um, sabe até onde vai a sua.